Tecnologia do Blogger.
RSS
Container Icon

Adubos e Substratos

Qual substrato utilizar?

nimg34766_20092174030102
A terra é a base do jardim ou do vaso. É como o alicerce da casa. Se você colocar uma terra boa e fizer uma boa drenagem, a sua planta ficará muito mais saudável, forte e bonita. Procure sempre comprar uma terra de boa qualidade e procedência e se puder dê uma incrementada nela, de acordo com o que irá plantar.
Pegue um copo americano ou xícara e use como a sua medida.
Substrato básico para begônia, violeta, lírio-da-paz, antúrio, árvore-da-felicidade, jibóia, filodendros, ciclâmen, zamioculcas, peperômias:
1 ½ medida de húmus de minhoca
1 ½ medida de terra
3 medidas de fibra de coco
2 medidas de areia
2 medidas de vermiculita
Substrato para cactáceas e suculentas (cactos em geral, ripsalis, flor-de-outubro, flor-de-maio, dedo-de-moça, etc):
6 medidas de areia
3 medidas e ½ de terra
½ medida de húmus de minhoca
Substrato para samambaias de raiz: saia baiana, paulistinha, compacta, cabelinho de anjo ou mini:
1 medida de areia
2 medidas de terra
7 medidas de húmus de minhoca
1 colher de chá de carvão moído
Substrato para samambaias de rizoma: rendas portuguesa e francesa, de metro, avencas, pluma, asplênio, amazonas, bromélias e chifre-de-veado:
1 medida de areia
1 medida de terra1 medida de húmus de minhoca
7 medidas de fibra de coco ou casca de pinus triturada
1 colher de chá de carvão moído
Substrato para azaléias e palmeiras:
3 medidas de areia
4 medidas de terra
3 medidas de húmus de minhoca
Substratos para roseiras:
2 medidas de areia
4 medidas de terra
4 medidas de húmus de minhoca
Substrato para orquídeas:
Fibra de coco e/ou casca de pinus triturada
peixes
adubo granulado
Usando corretamente uma adubação, você pode ajudar e muito sua planta. Já uma adubação incorreta pode atrapalhar mais ainda. Para cada fase de sua vida, as plantas necessitam de maiores quantidades de determinados nutrientes, saber fornecer os nutrientes certos para essas fases vão fazer toda a diferença no cultivo de suas orquídeas.
Os adubos químicos são representados pelas letras NPK.
N-Nitrogênio
P-Fósforo
K-Potássio
Esses representam os macros nutrientes, eles são os mais consumidos pelas plantas.
Adubo Para Crescer
Maior quantidade de Nitrogênio estimula o crescimento da planta. Usar um adubo com mais nitrogênio favorece a brotação e o desenvolvimento vegetativo. O nitrogênio é indicado pela letra N, pela primeira letra da formula NPK. Para que um adubo tenha maior quantidade de nitrogênio o primeiro numera deve ser maior que os outros.
Ex: NPK 30-10-10
Um adubo que tem o primeiro numero maior que os outros é um adubo de crescimento, indicado para ser usado em mudas e plantas juvenis, também pode ser usado em plantas adultas quando elas estiverem em crescimento. Principalmente no inicio do período chuvoso.
Adubo para florir
Se o nitrogênio estimula o crescimento, o fósforo estimula a floração e as raízes. Um adubo rico em fósforo ajuda desenvolver maior quantidade de flores por haste floral, ajuda manter as flores por mais tempo e evita a desidratação da orquídea durante a floração.
O fósforo é representado pela letra P na formula NPK, para que um adubo seja de floração o segundo numero tem que ser maior do que os outros.
Ex: NPK 4-45-15
Você deve usar um adubo com quantidade maipr de fósforo dois meses antes da orquídea florir. Adube uma vez por semana.
Adubo para repouso
Durante o período de repouso das orquídeas que acontece principalmente no inverno, pode ser usado um adubo básico, ou seja, um que tenha o numero igual para cada elemento.
Ex: NPK 10-10-10
Muitos orquidófilos suspendem a adubação nesse período, ou, aumentam o intervalo entre as adubações.
O potássio serve como equilibrador.
O melhor é adubar uma vez por semana, e não a cada quinze dias, para isso, basta usar a metade da quantidade de adubo indicado para quinze dias.
flores de primavera
substrato
Desde que o xaxim foi proibido de ser comercializado, os orquidófilos tem buscado encontrar um melhor substituto para ele, tendo em vista que o xaxim verdadeiro, aquele da samambaia Açu, é, sem duvida o melhor substrato para se cultivar orquídeas, durante muito tempo foi o mais usado nos orquidários, mas devido a sua extração estar acabando com essa espécie de samambaia, ele foi proibido.
Vários materiais estão sendo usados para tentar encontrar um substrato que seja adequado às orquídeas, lembrando que cada orquídea tem exigências diferentes e particulares, o que pode ser bom para uma espécie, pode não servir para outra, dada as particularidades de cada planta, ainda tem as influências externas, se um orquidário recebe água direto da chuva e não tem como controlar as regas, terá que ter cuidado para não usar um substrato que retém muita umidade, porque durante o período de chuva terá problemas com os fungos e as bactérias, o fator principal para o surgimento de fungos e bactérias é excesso de umidade, as orquídeas não podem ficar encharcadas por muito tempo.
Se tiver como controlar a rega, não terá problema usar um substrato que demora mais a secar, porque a pessoa só vai voltar a regar quando ela perceber que suas orquídeas estão enxutas, dentro dos orquidários é bom também separar as orquídeas que estão em substrato de secagem rápido das que estão com substrato que demora secar, mesmo em orquidários que tem o controle da umidade, as regas ainda variam, algumas orquídeas terá que ser regadas com menor freqüência e as que estão em substrato que seca rápido terá que ser regadas com mais frequência.
Uma boa dica é usar uma mistura de carvão, casca de pinus ou casca de outra arvore e vibra de coco, se quiser um substrato que seque mais rápido use cacos de telha ou pedrisco no lugar da fibra de coco, já se você quer um substrato que demore mais a secar, use esfagno na sua mistura.
bird4
catleyas
As necessidades de adubação da orquídea variam com a temperatura ambiente, uma vez que com as temperaturas muito elevadas teremos um maior desenvolvimento das plantas com o consequente aumento das suas necessidades nutritivas. Assim, a frequência de adubação deve ser maior na Primavera e Verão e praticamente nula nos meses mais frios do Inverno.
Se fizer uma irrigação semanal, como regra, poderá adubar as suas orquídeas rega sim, rega não, durante os meses mais quentes, ou então poderá adubar em todas as regas com uma dose menor sendo que a quarta rega não deve adubar para permitir uma lavagem do excesso de sais presentes no substrato.
As orquídeas devem regadas e adubadas logo pela manhã, para que o substrato tenha tempo para secar o excesso de água durante todo o dia. A água utilizada na rega não deve ser demasiado fria, se possível deve ser tépida ou estar à temperatura ambiente.
Para fertilizar as suas orquídeas epífitas, cuja maioria das espécies se utiliza como plantas de interior, é preferível utilizar um adubo líquido uma vez que este ao ser fornecido com a água de rega, permite uma melhor distribuição por todo o sistema radicular da planta, mimificando assim o que acontece no seu ambiente natural. Os adubos granulados estão indicados para todas as espécies terrestres, de que são exemplo os Cymbidins, uma das espécies mais populares e que geralmente se cultiva no exterior e algumas espécies de Paphiopedilum (sapatinho).
As orquídeas são plantas muito sensíveis aos níveis de salinidade da água e dos adubos, fato que se deve a milhares de anos de adaptação no seu habitat natural. São plantas epífitas (vivem agarradas às copas das árvores, que usam como suporte) e não estão em contato com o solo sendo que a única água que recebem é da chuva. Devem ser por isso, usada águas que contenham muito pouco cloro e adubos de qualidade, com baixa salinidade. Por isso estão totalmente “proibidos” os adubos agrícolas que embora muito mais baratos, apresentam elevados níveis de salinidade que provocam necroses ao sistema radicular.
Nas Orquídeas envasadas em substratos de casca de pinheiro de textura de grau médio a alto, as doses devem ser superiores às envasadas em substratos de textura fina. No entanto, é aconselhável que a dose aplicada na diluição seja inferior ao indicado pelo fabricante, para evitar assim, qualquer risco de excesso de adubo que terá sempre efeitos mais nefastos que uma dose inferior ao indicado.
38519
20081124043158_minhocario
As minhocas são seres de um valor enorme e que contribuem para a humanidade de muitas formas diferentes e com uma riqueza muito grande em tudo que faz e em tudo em que ela e utilizada, são fantásticos os resultados alcançados com as mesmas.
É muito prolífera, pois quando em cópula uma fertiliza a outra no mesmo ato (são hermafroditas), cada ovo possuem de 3/6 minhoquinhas, as quais atingem a maturidade sexual rapidamente.
Não necessitam somente de esterco animal para serem alimentadas e quando alimentadas com uma massa homogênea de composto vegetal, decorrente de restos vegetais de qualquer natureza, aí então se tornam auto sustentáveis, auxiliando as cidades na equação dos restos vegetais de feiras livres, mercados, varejões e outros tantos, sem falar nos restos vegetais existentes nas residências que geram a poluição dos pesados caminhões de coleta domiciliar, ocupam espaços vitais nos já saturados aterros sanitários, causando impacto ambiental negativo nos lençóis d`água com a formação do chorume.
As minhocas nos dão rico adubo orgânico (humus), carne de minhoca para alimentação de aves, pássaros raros, alimentação de rãs, e muito outros animais quando feito a farinha de minhoca, a qual é um riquíssima fonte de vitaminas e aminoácidos.
A farinha de minhoca é muito usada em vários Países do mundo como forte de vitamina para fabricação de ração animal (cães, cavalos, peixes, etc.) composteira doméstica
Já foi usada ou ainda é, no Sudão, para alimentação humana.
É um arado vivo no sub-solo, onde forma galerias por onde será possível a passagem de oxigênio e água, tornando o solo mais poroso e adequada a boas culturas.
Trata-se de um rico condicionador de solo 100% orgânico, que trará somente benefícios aos projetos paisagísticos em geral.
46
Adubar
Uma terra rica em elementos minerais e com boa drenagem é a melhor garantia para o desenvolvimento das plantas. Estes são alguns conselhos quando a adubar:
1. Aplique composto antes de plantar
O húmus é o melhor acondicionador do solo. Nutre e ajuda a reter a água, assim como melhora a drenagem. Um mês antes de plantar aplique matéria orgânica em forma de estrume bem fermentado ou composto.
Existem no mercado adubos que combinam elementos de síntese e biológicos, indicados para a preparação do solo. Analise as suas características ou aconselhe-se com um especialista ou com um funcionário do horto ou loja para escolher o que melhor se adequa às suas necessidades.
2. Faça o próprio adubo
O grande volume de desperdícios que o jardim gera no outono (folhas secas, ramos, flores murchas, entre outros), juntamente com alta umidade ambiental, torna esta a melhor época para fazer composto. Deposite uma capa de desperdícios orgânicos e por cima outra de composto maduro ou terra de jardim e vá alternando as capas.
3. Adubo verde
O chamado adubo verde proporciona boas reservas de azoto ao solo, além de ser um bom drenante. Por cada metro quadrado, semeie 25 gramas de ervilhas. Também, pode utilizar mostarda ou feijão, espécies que proporcionam folhas grandes em pouco tempo. A aplicação do adubo verde deve ser feita na primavera.
4. Gramado cuidado
Os terrenos relvados necessitam de adubo superficial em determinadas épocas. Aplique uma capa com um a dois centímetros de húmus ou uma mistura de areia e matéria orgânica.
5. Prepare as estufas
As estufas frias devem ser preparadas com material de drenagem (pedaços de vasos ou gravilha grossa) e uma boa mistura por cima.
6. Faça emendas profundas
Se vai plantar junto a um muro, porque estes solos podem ser pedregosos e pobres, exigem emendas profundas. Faça os melhoramentos com matéria orgânica.
7. Umedeça o solo
Antes de juntar fertilizante, para não haver queimaduras, humedeça o solo. Regue depois, sobretudo se o adubo é sólido.
8. Se exceder a quantidade
Numa planta de interior, se se distrair e se exceder na quantidade de adubo que colocou na terra, lave o substrato para eliminar o sal. Coloque um vaso debaixo da torneira e deixe que a água penetre bem.

9. Aplique adubo especial

Certas espécies de plantas exigem a aplicação de fertilizante especial. Deve fazê-lo nas flores novas, nomeadamente azáleas, crisântemos, poinsetias, entre outras. Os adubos líquidos têm efeitos mais rápidos.
10. O adubo de cobertura
É muito importante se as plantas apresentam raquitismos, más formações ou amarelecimento. Faça este tipo de adubo até à próxima paragem vegetativa com produtos químicos e orgânicos.
bird 10
adubo
Adubos ajudam a proteger contra fungos e a acelerar a floração, entre outras funções Iluminação e água são essenciais ao desenvolvimento de plantas, mas uma boa adubação do solo pode dar uma forçinha à natureza.
No mercado, existem fertilizantes granulados, líquidos e em pó, com funções que vão de proteção a durabilidade das flores. Para a chamada adubação de base são necessários os macronutrientes: nitrogênio (N), fósforo (P), potássio (K). Os produtos costumam conter os três, em proporções indicadas pela sigla NPK, formada pela notação química de cada elemento.
Valores como “10 – 10 – 10″, indicam a mesma medida das três substâncias, e em casos como “12 – 12 – 17″ ou “04 – 14 – 08″ a quantidade dos elementos é diferenciada. A escolha entre um ou outro tipo depende do tipo de planta, porque cada elemento exerce uma função diferente: - nitrogênio - fortalece raiz, haste e folhas. - potássio - aumenta a resistência do vegetal a doenças e pragas, além de aumentar a produção de sementes e estender a durabilidade das flores. - fósforo - essencial ao desenvolvimento de flores e sementes. Granulado, líquido ou pó,

Os adubos granulados devem ser usados apenas uma vez a cada seis meses. Os modelos líquidos ou em pó podem ser aplicados toda semana. Esse dois últimos tipos de fertilizante costumam conter outras substâncias, conhecidas como micronutrientes – zinco, cobre, manganês, sódio -, e são dissolvidos na proporção de uma colher de chá (5 mililitros) para cada litro de água. janel13
rosas
Ainda que algumas roseiras possam florescer sem fertilização, elas precisam dos nutrientes para chegar ao máximo de sua performance. Então, para isto se torna necessária a aplicação de fertilizantes de sua preferência.
Os três nutrientes básicos para um crescimento saudável de qualquer tipo de planta são: Nitrogênio, Fósforo e Potássio.
Não fertilize novamente as rosas até que os botões floresçam. Se você quer evitar usar fertilizantes químicos, pode tentar as seguintes alternativas orgânicas: Torta de mamona, farinha de ossos, esterco curtido, cinzas sem sal, compostos orgânicos, emulsão de peixe (adubo feito com água de aquário mais resto composto de peixes de água doce), adubo comum, húmus de minhoca, alga marinha ou adubo vegetal. Se você for utilizar fertilizantes químicos, deverá seguir as instruções de aplicação e dosagem na embalagem do produto.
Para fertilizantes químicos: Somente aplique fertilizante quando observar novos desenvolvimentos em sua rosa. Depois faça uma segunda aplicação somente quando a rosa começar a brotar, então aplique uma fertilização final depois de dois meses.
fonte
composto orgânico
O uso do composto orgânico em jardins, vasos e canteiros, é bastante benéfico, pois melhora as condições físicas, químicas e biológicas do solo. Podemos até dizer que é o melhor condicionador de solos. Além de disso, o composto é um depósito seguro, que protege os nutrientes de outros fertilizantes, como estercos e restos vegetais. O composto promove a proteção desses nutrientes pelos microorganismos naturais do solo, como fungos e bactérias, que desta forma sequestram esses nutrientes em seus próprios organismos, evitando assim sua perda para o ar e para a lixiviação.
De forma complementar, os estercos de animais de produção, como cavalos, ruminantes, suínos ou aves, são ricos em nutrientes essenciais para as plantas, entre eles, os macronutrientes como o nitrogênio, fósforo, potássio, cálcio, enxofre e magnésio, e micronutrientes como o cobre, zinco, boro, manganês e outros.
Estes estercos jamais devem ser utilizados frescos diretamente pelas plantas, pois provocam queimaduras nas folhas e raízes finas. Como estão frescos, eles também carregam uma quantidade enorme de sementes de plantas daninhas, principalmente os estercos de animais que pastam. Antes de sua utilização eles devem curtidos ou compostados com outros materiais orgânicos, para que sejam aproveitados com segurança. Depois de prontos, estes materiais podem ser utilizados em canteiros de jardim, gramados, hortas, pomares, vasos e onde mais suas plantas precisarem.
Isso posto, poderemos então alternar o uso do composto com o uso de estercos para garantir uma perfeita nutrição às plantas. Abaixo, seguem duas receitas para o aproveitamento máximo do composto e dos estercos, preservando ao máximo seus nutrientes.
Folhas frescas ou secas são excelente matéria prima para sua compostagem
Esterco compostado com outros materiais orgânicos:
- Colete uma boa quantidade de estercos. Para estas receitas procure usar estercos frescos. Nestes estercos grande parte do potássio e nitrogênio está contido na urina. Misture tudo com restos orgânicos secos, como folhas secas, capim, palha de arroz etc. Este material rico em carbono e seco irá absorver a urina.
- Adicione superfosfato simples ou gesso agrícola. A função destes elementos é diminuir a perda de nitrogênio durante o processo, alem de enriquecer o composto em fósforo, cálcio e magnésio. A proporção ideal não deve ultrapassar 3%.
- Verifique a umidade. Se estiver muito seco, adicione água, e cubra com plástico ou lona, para manter a umidade e evitar que seja lavado por chuvas fortes. A temperatura da pilha irá subir, indicando que o processo de compostagem está em pleno desenvolvimento.
-Revire a pilha quando a temperatura começar a baixar. Quando revirar, observe a umidade. Se for necessário volte a regar, sem nunca encharcar.
- Quando a pilha deixar de esquentar, mesmo após outra revirada, o composto está pronto para ser usado. Use-o o mais rápido possível, para que suas plantas possam beneficiar de seus nutrientes.
Esterco curtido:
- Faça uma pilha usando o esterco, que pode ser de ruminantes, cavalos, suínos, aves, ou uma mistura de diferentes tipos.
- Adicione superfosfato simples (até 3%) para evitar perda de nitrogênio.
- Faça a pilha e cubra com plástico ou lona.
Neste caso, a temperatura da pilha irá subir rapidamente. Com uma grande proliferação de microorganismos e consequentemente haverá perda e consumo de oxigênio. Por este motivo a pilha deverá ser revirada diariamente e sua altura não deverá ultrapassar 50 centímentros. A medida que o esterco for “amadurecendo” a temperatura interna diminuirá. Quando isto acontecer, a pilha poderá ser revirada e amontoada, de forma a ter uma nova altura igual a 1 metro. Quando a temperatura atingir e se manter em 40 graus, o esterco estará curtido, pronto para uso ou armazenamento em sacos plástico bem fechados.
Obs.: O uso de superfosfato simples ou gesso agrícola é dispensável. Sugeri estes elementos com a intenção de preservar ao máximo o nitrogênio. Ao utilizar esterco de aves, evite utilizá-lo puro na receita número 2, prefira a cama de aviário completa, que possui serragem em sua composição.
peixes

Adubação

fertilizante_azul
Adubo químico ou sintético
Os adubos sintéticos são vendidos em forma de sais simples (salitre-do-chile, sulfato de amônia, superfosfato…) ou em misturas químicas já prontas, em pó, líquido, pastilha ou granulado.
Quando você for procurar nas lojas especializadas, repare que na embalagem estará inscrita uma série de números, como 10-10-10 ou 4-14-8. Esses números indicam a proporção de Nitrogênio (N), Fósforo (P) e Potássio (K) que os adubos contém nessa ordem – o tal do NPK.
Importante:
- De acordo com a legislação brasileira toda mistura só pode ser considerada fertilizante quando a soma dos 3 principais componentes (N-P-K) totalizam acima de
26.
- Numa mistura balanceada a porcentagem de nitrogênio não pode ser maior que 3 vezes e nem menor que a metade da porcentagem de fósforo. Também não poderá ser
mais que o dobro ou menos que a metade da porcentagem de potássio.
Dentro dos limites e com as necessidades definidas, a adubação sintética é muito bem vinda para suas plantas fornecendo a alimentação balanceada para o perfeito desenvolvimento.
Os adubos químicos liberam nutrientes por um período de 1 a 3 meses, portando cuidado para não adubar novamente antes desse tempo, você pode intoxicar a planta provocando disfunções que podem levar o exemplar à morte. Siga sempre as orientações de aplicação e dosagem fornecidas pelos fabricantes.

Adubo orgânico

São compostos de resíduos animais e vegetais. Os mais conhecidos são: farinha de sangue, farinha de ossos, farinha de peixe, torta de mamona, torta de girassol, esterco de gado, de cavalo, de galinha e de porco.
Esses resíduos contêm todos os macros e micronutrientes que as plantas precisam, porém só podem ser aplicados nas plantas após sua fermentação, ou como dizem: deve estar curtido.
Os aditivos orgânicos não liberam todos os nutrientes de uma só vez como acontece com os químicos. Contudo o resultado é muito mais duradouro, pois ativa a criação de vida no meio de cultivo, que permanentemente irá liberar nutrientes para suas plantas.
Escolha preferencialmente compostos orgânicos de fabricantes regulamentados por
entidades certificadoras de produtos orgânicos. Evite utilizar resíduos, principalmente de animais, sem a devida orientação, eles podem conter microorganismos maléficos à sua saúde.
O adubo orgânico Bokashi é uma mistura de diversos ingredientes orgânicos – farinha de osso , torta de mamona, farinha de peixe… que, devidamente fermentados, resultam num excelente e completo adubo para todas as plantas.
O bokashi pode ser aplicado da mesma forma que os aditivos sintéticos, não tem cheiro e libera os nutrientes imediatamente após a sua aplicação.
É um produto totalmente orgânico que irá manter suas plantas bem nutridas, além de manter o meio de cultivo com vida.

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

20 comentários:

célia maria disse...

gostei das dicas mas gostaria de saber se existe algum tipo de adubo capaz de fazer as violetas florir sempre me responda please

lu disse...

muinto obrigada por dividir seu conhecimento do mundo verde minhas plantinhas ti agradece vou absorver tudim !valew amei as dicas

Elair Palhano Tavares disse...

Fantástico as dicas são muito úteis. Valeu.

lucia sena disse...

muito bom.

Janderly monte de araújo disse...

ola boa tarde preciso que me tire uma duvida. Tenho muitas folhas de carnaúba secas ,essas que faz vassoura de palha e nao sei se posso ja colocar no meu vasinho ou se é preciso deixar curtir por alguns dias. que acha?

Helena Nogueira disse...

Gostei do bloger, muito util, tirou várias dúvidas.// Agradeço.

Unknown disse...

Muito bom !! Gostei muito

Vanessa Santos disse...

Amei suas explicações, muito fácil de entender e útil vou colocar em prática pra minhas plantas ficarem bonitas, obrigada! ! ! ! ! !

Vanessa Santos disse...

Amei suas explicações, muito fácil de entender e útil vou colocar em prática pra minhas plantas ficarem bonitas, obrigada! ! ! ! ! !

Unknown disse...

A melhor matéria sobre adubos que encontrei.

J Carlos disse...

A melhor matéria sobre adubos que encontrei.

FERDINANDO disse...

PARABÉNS, GOSTEI, UMA ÓTIMA AULA, MUITAS DUVIDAS FORAM EXPLICADAS, OBRIGADO.

FERDINANDO disse...

PARABÉNS, GOSTEI, UMA ÓTIMA AULA, MUITAS DUVIDAS FORAM EXPLICADAS, OBRIGADO.

Adriana Fogaça disse...

Qual o melhor substrato para plantas ornamentais? Posso utilizar cascas de ovos e mamona na mistura? Parabéns pelo blog, obrigada!

Comprar Grama, Gramas, Grama Esmeralda, Grama Esmeralda Preço, Grama Batatais, Grama Batatais Preço, Grama São Carlos, Grama São Carlos Preço, Grama Bermudas, Grama Bermudas Preço, Grama Coreana, Grama Coreana Preço, Grama Santo Agostinho, Grama Santo Agostinho Preço, Grama para Jardim.

Linda campos disse...

gostei muito das suas dicas, adorei. Mas tenho um serio problema na minha roseira, elas estão lindas e cheias de botoes para abrir, mas as abelhinhas pretas estão destruindo tudo. Não sei o que eu faço pra elas pararem de atacar minhas flores. Me de uma ideia, uma luz, uma solução por favor. Obrigadaaa

Rosane Cristina disse...

Muito Bem explicado adorei

Rosane Cristina disse...

Muito Bem explicado adorei

Carlos Lima disse...

Excelente explicação, parabéns! Grato.

Elisangela Berlanda disse...

Não sei o que vc fez, eu aprendi jogar água com cinzas. Funcionou bastante. Espero também que tenha resolvido seu problema.

Unknown disse...

Bom dia
Farinha de ossos pode ser colocada em arvore da felicidade? Grato

Postar um comentário